16 junho, 2014

RESENHA: Insurgente.

E aí leitores?
Bem, hoje vim com a resenha de Insurgente, segundo livro da trilogia Divergente escrito por Veronica Roth.

Esta resenha poder conter spoilers do primeiro livro da série.


Uma escolha pode te destruir.
Uma escolha pode transformar você - ou destruí-lo. Mas em cada chance há consequências, e com tumultos surgindo em todas as facções ao seu redor, Tris Prior precisa continuar à tentar salvar todos que ama, e a si mesma, enquanto luta com questões de dor e perdão, identidade e lealdade, política e amor.
O dia de iniciação de Tris deveria ser marcado com a celebração e vitória da facção que escolheu; em vez disso, o dia terminou com horrores indescritíveis. A guerra assoma-se com os conflitos entre facções e suas ideologias crescem. E em tempos de guerra, lados devem ser escolhidos, segredos emergirão, e as escolhas se tornarão ainda mais irrevogáveis, e ainda mais poderosas. Transformada por suas decisões, mas também assombrada pela dor e culpa, e novas descobertas radicais, Tris deve aceitar plenamente ser Divergente, mesmo que ela não saiba o que ela pode acabar perdendo por faze-lo.



Veronica Roth somente melhora a cada livro que ela vai escrevendo. Ao contrário de Divergente, em que eu comentei na resenha (aqui) que ficava muito no dia-a-dia de Tris, sem muitas explicações para o que estava acontecendo, aqui não tem isso. Muitas perguntas foram respondidas, outras surgiram (obviamente) e muitas descobertas que te fazem ficar boquiabertos. Meu deus, gente, melhor distopia em minha opinião até agora. EM MINHA OPINIÃO, superou Jogos Vorazes - e olha que eu amo Jogos Vorazes.

créditos na foto

Eu achei muito legal o jeito que a Veronica Roth ter construído o fato de Tris ter matado Will, e como isso a afetou no passar do Insurgente, porquê, quem lê Divergente fica pensando "meu deus, ela matou o amigo e continua assim, do nada o esquece" mas não. Ela estava na adrenalina na hora, e tinha que terminar a missão dela, então, depois disso, em Insurgente, aborda muito esse fato e como afetou a Tris em muita coisa. 



Mudou um pouco ela mesma, e isso que eu acho incrível. Tris tem apenas dezesseis anos, está se descobrindo, então você a vê mudando constantemente. A Tris que começou em Divergente nem era Tris, era Beatrice, não é a mesma que termina o Divergente, e a Tris que termina Insurgente não é a mesma que começou. Desculpa se isso ficou muito confuso.

Insurgente pega exatamente de onde Divergente parou, não tem saltos de "uma semana" nem nada, literalmente de onde Divergente parou.

                              

Devo ressaltar que eu amei o Peter, gente, eu adoro aquele cara! Em Divergente eu tinha uma raiva dele, mas ainda assim gostava, e aqui admiti que eu adoro esse personagem.

     

Agora eu vi muita gente dizendo que o final de Insurgente ia ser "uau!" mas, eu não fiquei tanto assim não. O final de Convergente ( resenha em breve ) fez isso comigo mas o de Insurgente não, assim, foi uma grande coisa mas não foi um final tipo... Príncipe Mecânico (Segundo livro de "As Peças Infernais"), mas de qualquer maneira, o final faz você ficar louco para o Convergente.

Sobre o romance, eu adoro Tris e Quatro justamente porque eles não são perfeitos. Tem várias brigas dos dois aqui por desentendimentos. Eles não são "almas gêmeas", eles são bem diferentes, tem decisões diferentes aqui - são seres humanos. E eu adoro isso no relacionamento desses dois. As coisas tem que dar errado para darem certo no final, certo?


Enfim gente. Amei Insurgente, 5/5! Leiam a trilogia porquê é demais. Assim, se você gosta de ação e distopias como eu! 

Até a próxima!
Tchau!


4 comentários:

  1. Ola! Pulei algumas partes da resenha pois ainda nao li Insurgente!

    Mas pretendo fazer a leitura em breve, sou fã incondicional da Divergente e tenho certeza que vou amar Insurgente!

    Beijos Joi Cardoso
    Estante Diagonal

    ResponderExcluir
  2. Olá! Li algumas partes da sua resenha porque estou no início de Insurgente ainda, está muito bom, não vejo a hora de assistir o filme! :3

    http://livro-apaixonado.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    Eu também adorei Insurgente!
    A Tris cresceu muito nesse livro, se tornou ainda mais corajosa e incrível e acho que o fato dela não ter lidado bem com a morte de Will só a torna mais humana, afinal, quem mata um amigo e continua na boa? lol
    Gosto muito do Quatro, mas acho que nesse livro ele deveria ter confiado mais no julgamento da Tris. Esse foi um erro grande, e ele deveria ter aprendido com ele para não repeti-lo depois... em Convergente. Mas mesmo assim, ainda gosto dele, vai entender rs
    Adorei a resenha!
    Beijos
    http://addictionforbooks.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Tem pouco tempo que eu comprei Insurgente, e estou louco para ler (ksksks), mas aí tem tantos outros na frente que vou ter que acalmar minha ansiedade.
    Muito boa a sua resenha.

    Abraços!!
    http://macaliteraria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo