09 julho, 2014

A SELEÇÃO por Kiera Cass

Oi galera!!! Estou de volta aqui depois de um tempão sem postar. Motivo? Férias - viagem, hahahaha. Mas tudo bem, voltei aqui com uma querídissima resenha e eu espero que gostem!

TRINTA E CINCO GAROTAS E UMA COROA
para trinta e cinco garotas a Seleção é a chance de uma vida. Num futuro em que os Estados Unidos deram lugar ao Estado Americano da China, e mais recentemente a Illéa, um país jovem com a sociedade dividida em castas, a competição que reúne moças de dezesseis à vinte anos de todas as partes para decidir quem se casará com o príncipe é a oportunidade de escapar de uma realidade imposta a elas ainda no berço. É a chance de ser alçada de um mundo de possibilidades reduzidas para um mundo de vestidos deslumbrantes e joias valiosas. De morar em um palácio, de conquistar o coração do belo príncipe Maxon e um dia ser rainha de Illéa. 
Para America Singer, no entanto, uma artista da casta Cinco, estar entre as Selecionadas é um pesadelo. Significa deixar para trás Aspen, o rapaz que realmente ama e que está uma casta abaixo dela. Significa abandonar sua família e seu lar para entrar em uma disputa ferrenha por uma coroa que não quer. E viver em um palácio sob a ameaça constante de ataques rebeldes.
Até America conhecer pessoalmente o príncipe. Bondoso, educado, engraçado e muito, muito charmoso, Maxon não é nada do que se poderia esperar. Eles formam uma aliança, e aos poucos, America começa a refletir tudo que tinha planejado por si mesma - e percebe que a vida com que sempre sonhou talvez não seja nada comparada ao futuro que ela nunca tinha ousado imaginar.



Escrito por Kiera Cass e lançado aqui no brasil pela editora Seguinte, A Seleção era o que se chamavam de distopia mas honestamente, aquilo para mim só ficou em segundo plano.

Mas felizmente, eu fui esperando isso porque eu tinha visto outras resenhas que explicavam que a distopia escrita por Kiera Cass não foi bem construída neste livro. Um plano de fundo e só. O foco mesmo era o romance e o triângulo amoroso que America se meteu, e apesar disso ter me decepcionado um pouco pois distopias são meu gênero favorito de livros hoje em dia, não fez com que eu não amasse esse livro e me apaixonasse pela história.

foto da Melina Souza

E aqui conhecemos a protagonista America Singer. A America, eu já vi entre meus amigos e os vlogueiros ao fazer resenha, muitas opiniões distintas sobre ela. Uns a amaram, outros falaram que ela chata - um clichê, insuportável. Mas eu fiquei com aqueles que gostaram dela. Apesar de me identificar muito com ela pois sua maior característica é ser impulsiva assim como eu, eu me surpreendi por ela ser uma protagonista extremamente... normal. E é isso que eu gostei bastante nela. Ela não é nenhuma bad - ass como a Tris ou a Katniss, nenhuma Bella Swan ou Lena Ducchanes também. E não seria uma Clary ou Tessa porque bem, elas não são o que chamamos de... normais. America tem seu lado feminino, ela chora por garotos e tem o coração dividido em dois. Mas ela também tem uma personalidade muito forte de lutar e defender o que acredita mesmo quando ao fazer isso, contraria pessoas da realeza. Eu gosto da America. 


E no começo ela simplesmente não quer se candidatar a Seleção por não querer uma coroa, não querer o príncipe que já julgou muitas vezes ao que ele aparecia na televisão. E por estar apaixonada por Aspen, seu namorado que é secreto por ele ser uma casta abaixo. Não que isso seja proibido, mas se ela se casasse com Aspen ela teria que ser da casta Seis. E ela teme que a sua família, principalmente a mãe - que esta doida para ela se inscrever na Seleção, não aprove. 



Mas quando Aspen acaba terminando o namoro por querer o melhor para a America, ele a pede para se inscrever. Com raiva, tristeza e pensando ainda assim em como aquilo poderia ajudar muito a família - e acrescentemos a impulsividade de America aqui, ela acaba se inscrevendo e sendo uma das selecionadas para ir ao castelo participar da Seleção e ganhar o coração do príncipe Maxon.

No começo, America, ao perceber seu erro com o julgamento quanto ao príncipe, propõe que ela seja uma amiga dele - que o ajude a escolher alguém, em troca de ele não escolhe-la, mas aos poucos o coração de America começa a querer mais do príncipe e acho que isso não vai ser spoiler ao dizer que ele começa a sentir o mesmo.



E é aqui que eu digo que esse livro tem, de fato, um triângulo amoroso. O coração de America fica divido entre Aspen e Maxon, e ela não sabe quem escolher. As coisas ainda complicam quando Aspen passa pelo recrutamento e vira guarda do palácio. E ele a quer de volta. As coisas ficam complicadas. 

Eu senti que a Kiera Cass não explorou muito bem o Aspen. Eu senti falta disso porque eu adorei tanto aquele personagem que eu queria que ela tivesse explorado mais ele. Mas eu não sou #teamAspen. Por falta disso, eu senti falta de química entre os personagens de America e Aspen e acho que ela se encaixa bem melhor ao príncipe, então #TeamMaxon - apesar de o Aspen ser meu personagem favorito.



Sobre as outras Selecionadas, não é questão de tempo até que America faz uma amiga - Marlee, e inimiga - Celeste. Percebemos que entre as trinta e cinco, temos segredos de algumas e isso é muito bem trabalhado. E o jeito que elas se enfrentam para querer ter o príncipe é muito legal, feminino mas muito legal. Garotas, a gente ri muito com a conversa delas!



A única coisa que eu realmente posso dizer que me decepcionou, foi a distopia como dito no começo da resenha. Toda vez que acontece ataques ao castelo de rebeldes, as Selecionadas (isso inclui America - que narra a história) vão para o porão ou seja, não sabemos nada que está acontecendo ao lado de fora. não tem ação. E eu senti falta disso.  Em A Escolha, apesar de não ser tudo isso que eu espero de distopias, eu percebi que a Kiera Cass tentou bastante desenvolver mais. Mas eu falo disso em outro post.



E... uau! Empolguei e escrevi demais. vou parar por aqui. Eu dou 4/5 para esse livro, e não recomendo para todos. Se você está em busca de distopia não leia que você vai se desapontar - talvez não se você ficar com a mente aberta que nem eu para outras coisas (romance). E assim, acho que a maioria das garotas vão gostar já os garotos... não sei, acho que não mas ai é com vocês.

Assista ao trailer do livro!




Beijos pessoal e até a próxima!
Tchau!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo