03 novembro, 2015

Fale!, Laurie Halse Anderson


"Fale sobre você... Queremos saber o que tem a dizer."
Desde o primeiro momento, quando começou a estudar no colégio Merryweather, Melinda sabia que isso não passava de uma mentira deslavada, uma típica farsa encenada para os calouros. Os poucos amigos que tinha, ela perdeu ou vai perder, acabou isolada e jogada para escanteio.O que não é de admirar, afinal, a garota ligou para a polícia, destruiu a tradicional festinha que os veteranos promovem para comemorar a chegada das férias e, de quebra, mandou vários colegas para a cadeia. E agora ninguém mais quer saber dela, nem ao menos lhe dirigem a palavra (insultos e deboches, sim) ou lhe dedicam alguns minutos de atenção, com duvidosas exceções. Com o passar dos dias, Melinda vai murchando  como uma planta sem água e emudece. Está tão só e tão fragilizada que não tem mais forças para reagir.
Finalmente encontra abrigo nas aulas de arte, e será por meio de seu projeto artístico que tentará retomar a vida e enfrentar seus demônios: o que, de fato, ocorreu naquela maldita festa?



"Um romance de estreia extraordinário; uma obra-prima vencedora (e finalista) de inúmeros prêmios sobre uma jovem que opta por calar em vez de dizer a verdade."

"Fale! recebeu o "Altamente Recomendado" norte-americano para leitura escolar."

Fale! irá ter como tema de fundo o Ensino Médio, trazendo seus problemas com os adolescentes em seu convívio, tratando de assuntos como bullying, depressão e outras coisas. Teremos como a narradora e personagem principal, Melinda Sordino. Uma caloura no Ensino Médio que começou o ano já com a saia errada, dor de barriga, sem amigos e muda.

Toda aquela porcaria que você ouve na TV sobre comunicação, e expressar seus sentimentos é uma mentira. Ninguém realmente liga para o que você tem à dizer.
Antes do começo do ano, Melinda era uma garota normal, com melhores amigas e diversão estampada na cara. Ela não era a esquisitona calada do colégio até ela e as amigas irem a uma festa dos veteranos, em uma antiga fazenda com bêbidas e som alto. Melinda parecia se divertir, até que do nada, ela liga para a polícia e destrói a festa toda, fazendo até alguns serem presos. Suas amigas ficam bravas com ela e a abandonam, Rachel principalmente. E no começo do novo ano, cada uma está espalhada naqueles grupinhos clássicos de colegial. Mas Melinda está sozinha, e aos poucos ela vai se calando, deixando o terrível segredo consumi-la e devora-la por dentro.

Eu deveria contar para alguém. Qualquer um. Acabar com isso.

Ao desenrolar do livro, vemos Melinda ganhar sua voz novamente, descobrindo o que ela realmente passou naquela festa, e gritando com todas as forças de seus pulmões. Para acompanha-la nessa jornada, encontramos alguns lugares e pessoas que fazem Melinda se sentir tão bem, ou tão mal. Temos Heather, a garota nova e ambiciosa do colégio que conversou com Melinda nos primeiros dias, mas logo se mostra ser uma egoísta, que liga para o que os outros pensam e uma pessoa totalmente fútil. Temos David Petrakis, o parceiro de laboratório de Melinda, que gosta de usar sua voz para defender o que acredita.


 Temos o Prof. Freeman, que é um grande louco apaixonado pela arte que ensina-a a liberdade de se expressar através de sua própria arte - no primeiro dia da aula, o professor pede para os alunos sortearem um objeto para transforma-lo numa obra de arte até o final do ano e Melinda tira uma árvore, que a acompanhamos trabalhando nela durante o livro todo.


Temos Rachel e Ivy, as ex-amigas da garota. Rachel ainda está brava com ela e está virando uma popularzinha no colégio, porém Ivy - que vira sua colega da aula de artes - volta a se aproximar da garota. Temos os pais de Melinda, que você percebe que mesmo a amando, são um pouco distantes ao mesmo tempo que eles prestam atenção nela. E por fim, O Troço. O monstro, vilão do livro que é a razão de todos os problemas que Melinda vem sofrendo.


Apesar de Melinda não falar muito, a autora fez um excelente trabalho em construir os sentimentos dela dentro de sua cabeça. Aqueles sentimentos depressivos relacionados ao acontecimento da festa são misturados com a personalidade de Melinda... sarcástica, irônica, levemente engraçada de meio crítico.

Você tem que saber pelo quê que você luta, não só o que você é contra.

Fale! é um livro que te marca. Você fica refletindo sobre ele depois que o fecha, chora, ri, sofre e ama. É aqueles livros que não importa qual é sua chave-gênero de livro, você deve ler. E deve reler.



Ele foi adaptado em 2004 para um filme, em inglês 'Speak' , mas em português foi traduzido para O Silêncio de Melinda, tendo Kristen Stewart como a protagonista e fazendo um excelente trabalho. Ainda no elenco temos Elizabeth Perkins. Em questões da adaptação, ele foi bem fiel ao livro em questão do propósito. Mas teve elementos alterados, mas na minha opinião ficou muito bom. O livro, considerei que deu um pouco de enrolada e o filme foi direto ao ponto. Mas por favor, não é porque eu falei que dá uma enrolada que ele deixa de ficar bom. Ele é excelente, tanto que ganha suas devidas cinco estrelas.


Então é isso. Leiam o livro galera, e quem já leu, comente aí em baixo o que acharam dele.
Beijos e até a próxima!

Eu me pergunto quanto tempo demoraria para alguém notar se eu simplesmente parasse de falar.

Um comentário:

  1. OiOi
    Ess filme está na minha lista de desejados, parece ser bem envolvente e interessante
    com uma personagem boa, o filme também deve ser legal.
    Que bom que gostou da leitura.

    momentocrivelli.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo