10 março, 2016

Sol e Tormenta, Leigh Bardugo



A ESCURIDÃO NUNCA MORRE

Perseguida ao longo do Mar Real e aterrorizada pela memória dos que se foram, Alina Starkov tenta levar uma vida normal com Maly em uma terra desconhecida, enquanto mantém em segredo sua identidade como Conjuradora do Sol. Mas ela não pode ocultar seu passado e nem evitar seu destino por muito mais tempo. Ressurgido de dentro da Dobra das Sombras, o Darkling retorna com um aterrorizante e novo poder e um plano que irá testar todos os limites da natureza.
Contando com a ajuda e com os ardis de um admirável e excêntrico corsário, Alina retorna ao país que abandonou, determinada a combater as forças que se reúnem contra Ravka. Mas enquanto seus poderes aumentam, ela se deixa envolver pelas artimanhas do Darkling e sua magia proibida, e se distancia cada vez mais de Maly. Ela será então obrigada a fazer a escolha mais difícil de sua vida: ter sua pátria, seu poder e o amor que ela sempre pensou ser seu porto-seguro ou arriscar perder tudo na tormenta que se aproxima.

TRILOGIA GRISHA
EDITORA: GUNTENBERG
NOTA: 5/5



Tal resenha pode conter spoilers sobre o primeiro livro da trilogia.

Oi galera, desculpem o sumiço - de novo.
Vida de adolescente é dura, mas eu nunca vou abandonar isso aqui cem por cento. Garanto.

Então hoje eu vou falar do segundo livro da trilogia Grisha, da Leigh Bardugo - Sol e Tormenta.

Alina Starkov está tentando sobreviver a uma vida bem miserável do outro lado da Dobra, junto a Maly. Ela está fraca, sem utilizar dos seus poderes de Conjuradora do Sol e aterrorizada, tendo constantes pesadelos sobre o Darkling pelas noites.



Não demora muito para que seus sonhos sombrios virem realidade novamente. O Darkling a encontra, e captura ela e o Maly, levando-os para o navio de Sturmhond - uma "raposa esperta". Um misterioso corsário com um dom de manipulação e intenções bem escondidas - com o qual havia feito um acordo.



Agora o Darkling tem um novo motivo para ter a Conjuradora do Sol sobre seu controle, e uma nova missão. Com a tripulação fornecida por Sturmhond a seus favores, mais o seu exército e os poderes horríveis e ao mesmo tempo magníficos que o incidente no Não Mar o proporcionou - enfim - mais poderoso do que nunca, o Darkling quer agora um próximo amplificador, onde sua origem é uma lenda e todos julgam impossível acha-lo. Porém, este maravilhoso vilão não vai ouvir a palavra "impossível" e não vai desistir. 



*Quando as pessoas dizem impossível, elas normalmente querem dizer improvável.

Mas, como a Leigh Bardugo ama reviravoltas e mudanças de roteiro e direção, é claro que algo estava para acontecer que vai fazer o jogo virar, deixando a história mais poderosa e um tanto quanto majestosa, vamos dizer assim.




Eu amei Sombra e Ossos, porém eu sempre senti que faltava alguma coisa. Os personagens conseguiram me cativar e eu me apaixonei pelos principais (especialmente o Darkling <3) porém não teve aquele personagem que faz um BAM assim em meu coração, sabe? Aquele personagem que você se identifica, e te deixa empolgado pela história. E aqui em Sol e Tormenta, conhecemos Nikolai Lantsov.


Acho que a Leigh Bardugo fez um EXCELENTE trabalho criando este personagem. Ele deu uma alterada não só no curso da história e sua trama, mas como também nas páginas reais, onde os leitores (vulgo eu e  a maioria das pessoas que eu conheço que leram esses livros) se empolgaram mais para continuar a história, fazendo a leitura fluir. Foi um personagem para se apaixonar, se cativar, simpatizar e sofrer por.


* Eu tendo a ser fã do risco

Em minha opinião, é um dos mais bem construídos na série, com melhor personalidade e diálogos,
melhor cabeça para pensar e ahhhh!! Deixa o mistério sobre quem é Nikolai Lantsov, mas posso dizer que ele é bem importante para o rumo que a história toma em Sol e Tormenta.



*Eu quero te beijar... mas eu não vou. Nao até você estar pensando em mim ao invés de tentando esquecer ele.

Sobre os regulares, como Alina, Darkling e Maly, nada mudou. Todos com suas personalidades bem definidas, ainda gosto da Alina ser apenas uma garota comum, com seus altos e baixos, defeitos e qualidades. Maly continua sendo aquele lost boy de várias camadas, mas com um coração derretido e o Darkling... Darkling ainda é o Darkling gente, e apesar de ter sido reclassificado para segundo personagem favorito desta série, ainda o amo.



*Saiba que te amei. Saiba que não foi o suficiente.

Voltando a falar sobre a história em si, no livro anterior vimos uma Alina recebendo e cumprindo ordens, nunca sabendo o que fazer, afinal, ela estava se descobrindo. Agora que tudo aconteceu (principalmente com a batalha no Não Mar) Alina oficialmente dividiu Ravka em duas - entre aqueles que a considerão uma Santa, e aqueles que a chamam de traidora. Cabe a ela conquistar o coração dos Grishas que restaram no Pequeno Palácio, e embarca-los em uma guerra contra o Darkling e seu exército. 




*Agora Alina aprenderá

Ainda tem um certo livro que pode ser a chave para como derrota-lo, mesmo que ela tenha que arriscar muito para aquilo.




*Toda aquela luz. Todo aquele poder. Eu quero tudo.

Cheio de reviravoltas e complexidade, posso garantir que Sol e Tormenta não tem "a maldição do segundo livro" e inclusive, é ainda melhor que o primeiro. Muito mais reviravoltas que tal.



* "Por que não me deixa sozinha?" "Porque então eu estaria sozinho também."

Então leiam essa trilogia maravilha, e se apaixonem por Nikolai Lantsov assim como eu me apaixonei <3


Até a próxima pessoal.
Tchau!



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo